16 abril 2012

Palavras




Palavras [JMB©2012]



Poesia da
palavra não dita
da palavra maldita
em que se pendura
suspensa


— palavra sem nexo
nem sexo, sem passado
nem futuro —,


apenas sussurrada a um canto
da alma
que o corpo aguarda
de mãos
desfeitas.


Nos dedos as ânsias
de se abrir em cópula,
que essa palavra te penetre
como uma dança de letras que encantam
e produzam um pequeno poema que ainda não...


Não e não é o corpo que quero para ti!
Não e não as tuas mãos fechadas
que espero para mim.

Tudo o que dizes e não dizes
nas tuas palavras
absurdas que nunca...
nesta manhã feita poesia
de mar


de olhos aflitos
o dirás.
Não e não digas nada!
Cala essa palavra,
apenas sussurra


através do movimento
do teu ventre
e aperta-me assim a alma...




Protected by Copyscape Plagiarism Tool

10 abril 2012

Agitada Durante El Sueño... Uma Fusão Perfeita!




Agitada durante el sueño,
entre las sábanas blancas
empecé a sentirme inquieta.
!! Era tan real el sueño !!
que desperté excitada.


Tu boca se unió a la mía,
sentí como me apretabas.
Nos movíamos, jadeábamos,
derramando nuestros fluidos,
deteniendonos para un beso.
!! No quería que pararas !!
y tú me apretabas más,
llegó ese momento ansiado,
ese que recorre el cuerpo,
húmedo y extasiado.


!! Es algo tan mágico !!
que dan ganas de gritarlo.
Nos abandonamos al pecado,
que para mí fue un regalo,
fuimos dos... pero fusionados.





Agitada [JMB©2012]





Uma fusão perfeita em que
bocas se fazem
mãos
mãos se fazem
linguas
entrelaçadas de arrepios de
volúpia
teu corpo contra


o meu
dentro do teu, êxtase
perverso
e o pecado... ah esse
pecado
deliciosa mistura
do teu
suor derretido
no meu


e os dedos, as
linguas
os cheiros ansiosos dos
sexos
as tuas coxas
desmaiadas
no meu corpo já
inerte...


E quero-te assim
... devagar!






Carmen Muñoz Fernandez / José Manuel Barbosa

Protected by Copyscape Plagiarism Tool


08 abril 2012

Heresia Pascal 2012



Heresia pascal [JMB©2012]



Porque as adoro — as heresias e estas outras, também! — aqui fica uma, simbolizando os ovos desta Páscoa.

Para saborearem, longamente... e que todos, incluindo o JC e a Santíssima Trindade, me perdoem...!

É que já estava farto de comer por aí tantos ovinhos, galinhas e coelhinhas pascais, não contando com tantos muros floreados nesta época festiva!
 



Protected by Copyscape Plagiarism Tool

05 abril 2012

Lava incandescente




Lava incandescente [JMB©2012]





Uma lava incandescente arrasta e leva

não um

mas dois corpos flutuando

não uma

mas duas mãos agarradas

não um

mas dois desejos incontidos...

e assim se faz lume

e assim se faz cinza na renovação

em chama que sai

não de uma

mas de duas bocas...





Protected by Copyscape Plagiarism Tool


03 abril 2012

Cortejo




Cortejo [JMB©2012]





Salvajemente... salvaje... los ecos de la Sabána, llanuras de tierra y piedra,
sombras del solitario árbol en la inmensidad de una extraña calma.
Recostado en la gran roca ruge el león y reclama,
salvajemente... salvaje... el amor de una dama.


Ella se siente atraída por su poderosa calma, por su espíritu indomable,
por su delicada fiereza y su sexualidad indomable.


Coquetea juguetona con rugidos de ternura, deja entrever en sus juegos,
que hierve su sangre en las venas, que quiere ser la reina del rey de esta selva.
Se levanta de su pose... majestuoso el león... se va acercando lentamente,
para llamar también su atención.


Aromas de sexo en el aire...! instintos animales !
Ella se deja querer por el cuerpo de su amante.


El la va arropando con su sensualidad y su arte, apetitoso su cuello,
en el clava sus fauces.
Penetra en ella y la cubre con total devoción, inyectando sus semillas,
de vida... amor... y pasión.


Poderoso sus rugidos... rompen su silencio y calma,
extasiados y embriagados por el mágico embrujo de la inmensa Sabána.







Protected by Copyscape Plagiarism Tool